Posted tagged ‘Sicomércio Três Rios’

Lucro do BNDES sobe 47,2% em 2010, para R$ 9,9 bi – Sicomércio Três Rios

março 22, 2011

De acordo com o BNDES, a reversão de provisões em 2010, ante 2009, teve impacto positivo sobre o resultado do banco, em função da recuperação de créditos, no valor de R$ 2,3 bilhões.

Econômico e Social (BNDES) registrou um lucro líquido de R$ 9,9 bilhões no exercício de 2010, o que representa um aumento de 47,2% em relação ao obtido em 2009, de R$ 6,7 bilhões. Em nota divulgada hoje, o banco informou que os principais fatores que contribuíram para seu desempenho em 2010 foram a Receita com Reversão para Risco de Crédito, de R$ 2,9 bilhões; o crescimento do Resultado com Participações Societárias em R$ 2,2 bilhões (54,4%); e a expansão do Produto Bruto de Intermediação Financeira em R$ 1,2 bilhão (20,9%).

De acordo com o BNDES, a reversão de provisões em 2010, ante 2009, teve impacto positivo sobre o resultado do banco, em função da recuperação de créditos, no valor de R$ 2,3 bilhões. No exercício de 2009, o BNDES havia contabilizado uma despesa com provisão para risco de crédito de R$ 6 milhões.

O BNDES informou ainda que o crescimento do Resultado com Participações Societárias, no ano passado, decorreu, principalmente, do acréscimo de 179,5% do resultado com alienações, que passou de R$ 1,2 bilhão em 2009 para R$ 3,2 bilhões em 2010. Este aumento foi possível em função de melhora nas condições de mercado no ano passado, quando comparado a 2009, o que possibilitou a realização de operações de giro da carteira de participações societárias.

Quanto ao Produto Bruto de Intermediação Financeira em 2010, seu crescimento foi influenciado, principalmente, pela expansão da carteira de crédito e de títulos e valores mobiliários. O BNDES conseguiu atingir um desempenho financeiro compatível com suas atividades de banco de desenvolvimento, alcançando uma carteira de crédito de cerca de R$ 362 bilhões, 27,5% superior à do final do ano anterior.

Patrimônio líquido

O BNDES totalizou um patrimônio líquido de R$ 65,9 bilhões em 31 de dezembro de 2010, informou hoje o banco, em nota à imprensa. O patrimônio líquido corresponde a um patrimônio de referência de R$ 83,1 bilhões, valor superior aos R$ 54 bilhões de 2009.

O patrimônio de referência (PR) é a base utilizada pelo Banco Central para definir limites prudenciais que devem ser seguidos por todas as instituições financeiras. Quanto maior for o patrimônio de referência do BNDES, maior sua capacidade de conceder financiamento.

Segundo o banco, o crescimento do Patrimônio de Referência em 2010 resultou, basicamente, da avaliação a valor justo da carteira de participações societárias em empresas não coligadas (aquelas nas quais a BNDESPar não exerce influência na gestão) em conformidade com o processo de convergência contábil internacional.

O índice de adequação de capital (índice de Basileia) registrado pelo sistema BNDES foi de 18,6%, uma situação confortável em relação aos 11% exigidos pelo Banco Central.

Na nota, o BNDES informou também que a inadimplência representou 0,15% da carteira total, queda em relação aos 0,20% registrados no balanço de dezembro de 2009. A carteira do Banco é composta com 98,5% do total dos créditos concedidos classificados entre os níveis de risco AA e C em 31 de dezembro de 2010, qualidade superior à média do Sistema Financeiro Nacional, que era de 92,6% na mesma data.

O banco ressalta que a qualidade de crédito é resultado da consistência de suas políticas. “Os financiamentos concedidos pelo BNDES são objeto de contínuo acompanhamento e demandam garantias que cubram a posição devedora ao longo da vida dos contratos”, diz na nota.

Fonte: Época Negócios

Conheça nossas redes:

Orkut
Facebook
Twitter
Site

Cresce devolução de cheques sem fundos em fevereiro, mostra Serasa – Sicomércio Três Rios

março 21, 2011

No mês, 1,83% dos cheques emitidos no país foram devolvidos.
No primeiro bimestre, Roraima teve maior percentual de devoluções.

Em fevereiro, 1,83% dos cheques emitidos em todo o país foram devolvidos por falta de fundos, segundo aponta o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos, divulgado nesta segunda-feira (21). O percentual é 0,13 ponto acima do registrado no mês anterior, quando o índice verificado fora de 1,70%.

Os economistas da Serasa Experian atribuem o resultado ao maior comprometimento de renda do consumidor com dívidas. “Neste período, as compras parceladas no Natal, os gastos nas férias e as despesas típicas de início de ano (IPTU, IPVA e despesas escolares) pressionam o orçamento familiar e abrem espaço para os cheques sem fundos”, disse a Serasa, por meio de nota.

No primeiro bimestre do ano, Roraima foi o estado com o maior percentual de cheques devolvidos (10,06%). Por outro lado, São Paulo registrou o menor percentual (1,37%). Considerando as regiões, a Norte apresentou o maior percentual de devolução de cheques no segundo mês do ano, 3,79%. Na contramão, aparece o Sudeste, com 1,46%.

Perspectivas
A perspectiva divulgada pela Serasa é de que a devolução de cheques sem fundos possa crescer nos meses de março e maio, quando historicamente ocorrem picos sazonais. “Para o 2º semestre, o indicador estará sujeito à intensidade do aperto monetário e seu sucesso em reduzir a inflação, juntamente com a evolução do endividamento do consumidor”, afirma.

Fonte: G1

Conheça nossas redes:

Orkut
Facebook
Twitter
Site

 

Dólar opera em queda nesta segunda-feira – Sicomércio Três Rios

março 21, 2011

Na sexta-feira (18), moeda recuou 0,94%; vendida R$ 1,670.
Foi a maior retração desde o dia 4 de novembro de 2010.

O dólar comercial opera em baixa nesta segunda-feira (21). Perto das 9h30, a moeda estava cotada a R$ 1,663 na venda, desvalorização de 0,41%.

Na sexta-feira, após três altas consecutivas, a moeda norte-americana recuou 0,94%, vendida a R$ 1,670. Foi a maior retração desde o dia 4 de novembro de 2010. Apesar da queda, no acumulado da semana o dólar registrou valorização de 0,24% e, no mês, alta de 0,42%.

Fonte: G1

Conheça nossas redes:

Orkut
Facebook
Twitter
Site

Horário Carnaval – Sicomércio Três Rios

março 2, 2011

Três Rios, 02 de março de 2011.

Circular 001/2011– Horário Carnaval

Prezado(a)s Empresário(a)s,

Atendendo a solicitação dos Empresários e Comerciários, os Sindicatos convenentes, com apoio dos CDL de Três Rios e Paraíba do Sul, acertaram o funcionamento do comércio, NO CARNAVAL E SEMANA SANTA, EXCETO, PARA OS SEGUINTES SEGMENTOS: FARMÁCIA E DROGARIAS, MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, CONCESSIONÁRIAS, AUTO PEÇAS, SUPERMERCADOS E SHOPPINGS.
HORÁRIO ESPECIAL COMÉRCIO DE TRÊS RIOS, PARAÍBA DO SUL, LEVY GASPARIAN E AREAL.

1) Para as empresas dos segmentos de MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, PNEUS, AUTO PEÇAS, E SHOPPING, o funcionamento será normal, exceto no dia 07/03/2011, que ficará fechado, compensando com o dia 21/04/2011, que trabalhará em horário normal.
2) Os segmentos de Farmácia e Drogarias e Supermercados funcionarão em horário normal, cumprindo as regras da Convenção Coletiva.
3) O comércio funcionará no dia 23/04/2011 – feriado de São Jorge, para tanto deverá ser cumprido às regras da Convenção Coletiva e legislação municipal.

Atenciosamente,
Júlio Cezar Rezende de Freitas
Presidente do Sicomércio

Carlos Alberto Malta da Silva
Sindicato dos Comerciários

Copom deve subir juros para 11,75% ao ano nesta quarta-feira – Sicomércio Três Rios

março 2, 2011

Aposta é de analistas do mercado financeiro, que preveem 2ª alta seguida.
BC avisou, em janeiro, que estava dando início ao ciclo de subida dos juros.

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, formado pela diretoria e pelo presidente da autoridade monetária, se reúne nesta quarta-feira (2) e deve elevar a taxa básica de juros da economia brasileira de 11,25% para 11,75% ao ano, segundo previsão de grande parte dos economistas do mercado financeiro. 

Alguns poucos analistas, porém, ainda acreditam em uma subida maior, para 12% ao ano.

Gráfico mostra a variação da taxa Selic (Foto: Editoria de Arte/G1)
Gráfico mostra a variação da taxa Selic (Foto: Editoria de Arte/G1)

A perspectiva de subida da taxa de juros tem por base o próprio comunicado da reunião do Copom de janeiro, quando a taxa avançou em 0,5 ponto percentual.

Caso a projeção do mercado financeiro se confirme, será a maior taxa desde janeiro de 2009

No encontro, o primeiro do governo Dilma Rousseff, o Banco Central avisou que estava “dando início a um processo de ajuste da taxa básica de juros”, indicando que a taxa deveria voltar a subir nas reuniões seguintes. A expectativa do mercado financeiro é de novos aumentos da taxa de juros ainda neste ano. A previsão é de que a taxa Selic termine 2011 em 12,50% ao ano.

Caso a projeção do mercado financeiro se confirme, e os juros subam para 11,75% ao ano, será a maior taxa desde janeiro de 2009, quando estava em 12,75% ao ano. Ou seja, o valor mais alto para a taxa de juros em mais de dois anos.

Entenda para que serve a elevação
O Banco Central aumenta os juros para tentar conter a demanda por produtos e serviços na economia, e, com isso, tentar controlar a inflação.

Pelo sistema de metas de inflação, a autoridade monetária tem de calibrar os juros para atingir a meta central de 4,5% para este ano e para 2012, tendo por base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com o intervalo de tolerância existente, o IPCA pode oscilar entre 2,5% e 6,5% nestes dois anos sem que a meta seja formalmente descumprida.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram, porém, forte crescimento da inflação neste começo de ano. O IPCA de janeiro subiu 0,83%, a maior variação mensal abril de 2005. Ao mesmo tempo, dados preliminares de fevereiro indicam que a pressão inflacionária não diminuiu. O IPCA-15 de fevereiro (de 15 de janeiro a 15 de fevereiro) subiu 0,97%, mais do que o valor registrado em fevereiro de 2010 (+0,94%).

As previsões do mercado financeiro para o IPCA deste ano também não param de subir. Na última semana, os economistas do mercado elevaram a sua estimativa de inflação para todo ano de 2011 para 5,8%. Foi a décima segunda semana consecutiva de aumento na previsão. Com isso, a expectativa do mercado ficou bem acima da meta central de inflação deste ano, que é de 4,5%, mas ainda dentro do intervalo de tolerância (abaixo de 6,5%).

Na avaliação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, porém, a inflação no Brasil já está caindo, graças aos preços de alguns alimentos que começam a apresentar queda. “Já estamos vendo que o preço de alimento está caindo fortemente. Tem muito alimento cujo preço está caindo: carne, leite, arroz, feijão, o próprio trigo, portanto a inflação já está caindo. Então daqui para a frente a inflação vai começar a cair”, afirmou o ministro durante entrevista ao programa “Conta Corrente”, da Globo News nesta terça-feira.

Fonte: G1

Conheça nossas redes:

Orkut
Facebook
Twitter
Site

Receita começa a receber declaração de IRPF de 2011 – Sicomércio Três Rios

março 1, 2011

O programa já pode ser baixado no site da Receita Federal e as declarações devem ser entregues pela internet até o dia 29 de abril

Shutterstock

A Receita Federal começa a receber hoje (01/03) a declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2011, ano base 2010. O programa gerador da declaração, que pode ser baixado no site do órgão, foi reformulado para tentar sanar dificuldades apontadas por contribuintes em anos anteriores.

+ Tire suas dúvidas sobre o Imposto de Renda 2011

Os formulários de papéis não serão mais aceitos. As declarações devem ser entregues pela internet ou por disquete ou pen-drive nas agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. A expectativa do Fisco é de receber 24 milhões de documentos até o dia 29 de abril, último dia de entrega sem pagamento de multa. Estão obrigados a prestar conta ao Leão todos os brasileiros que tiveram rendimento superior a R$ 22.487,25 em 2010.

Uma das alterações é a possibilidade de o contribuinte dono de imóvel declarar o rendimento com o aluguel abatendo o valor destinado às imobiliárias. No campo pagamento e doações, ele informará o que foi pago ao corretor. Segundo o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, muitos contribuintes ficavam na malha fina porque havia uma discrepância entre os dados do inquilino e do dono do imóvel. A declaração também terá um campo este ano para a inclusão de CNPJ, quando o imóvel alugado for de pessoa jurídica. Antes, a declaração só aceitava que o inquilino informasse o CPF do dono do imóvel.

A partir deste ano, serão geradas duas vias de recibo de entrega da declaração. Muitos contribuintes precisam apresentar cópia da declaração para comprovar renda, como por exemplo em operações de empréstimo bancário. Os servidores públicos também são obrigados a entregar cópia da declaração ao órgão empregador. Como os números dos recibos podem gerar um código de acesso aos dados do contribuinte no site da Receita, o órgão decidiu gerar uma via sem o número. A outra, para uso pessoal do contribuinte, terá o número em destaque. Esta segunda via também trará as pendências e os débitos com o Fisco.

O supervisor informou ainda que será possível declarar a saída definitiva do País ou por mais de 12 meses para deixar de ser contribuinte no País. No ano passado, o Fisco já tinha incorporado ao IRPF a declaração de final de espólio.

Dependentes

Adir disse que a declaração deste ano também terá campos destacando o rendimento de dependentes. Segundo ele, é muito comum que os ganhos de dependentes, quando abaixo do limite de isenção, não sejam informados. No entanto, em caso de declaração conjunta, esses rendimentos precisam ser somados à renda do contribuinte que está preenchendo o formulário.

Quem recebeu rendimentos passados, como os de ações judiciais ou ganhos retroativos de salários, também terá no programa um campo específico para informar os valores recebidos até julho de 2010. A partir desta data, caberá à fonte pagadora informar o rendimento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Época Negócios

Conheça nossas redes:

Orkut
Facebook
Twitter
Site

Mercado prevê aumento dos juros para 11,75% ao ano nesta semana – Sicomércio Três Rios

fevereiro 28, 2011

Copom do Banco Central se reúne a partir desta terça-feira.
Economistas também elevam pela 12ª vez estimativa de inflação para 2011.

O mercado financeiro estimou, na última semana, que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que se reúne na próxima terça e quarta-feiras (1 e 2), subirá a taxa básica de juros da economia brasileira dos atuais 11,25% para 11,75% ao ano, informou o Banco Central nesta segunda-feira (28). Se confirmado, será o segundo aumento consecutivo dos juros no país.

O objetivo do BC, ao subir a taxa básica da economia brasileira, é tentar conter o crescimento da inflação no país. Os economistas dos bancos preveem que haverá novos aumentos dos juros no decorrer de 2011 por parte da autoridade monetária. A expectativa do mercado é de que a taxa Selic termine este ano em 12,50% ao ano.

Para o fim de 2012, a previsão do mercado para os juros básicos da economia permaneceu em 11,25% ao ano. Isso quer dizer que os analistas do mercado estimam queda dos juros no próximo ano. As previsões do mercado foram feitas por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus – documento que é fruto de pesquisa com analistas de bancos.

Metas de inflação
No Brasil, vigora o sistema de metas, pelo qual o BC tem de calibrar os juros para atingir os objetivos pré-estabelecidos. Para 2011 e 2012, a meta central de inflação é de 4,5%, com um intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) pode ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

Inflação
O mercado financeiro também subiu, na semana passada, a sua previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2011, que passou de 5,79% para 5,80%. Essa foi a décima segunda semana seguida de aumento da estimativa de inflação para este ano. Para 2012, a estimativa do mercado para o IPCA permaneceu estável em 4,78% na semana passada.

Deste modo, a previsão de inflação do mercado financeiro para este ano está bem acima da meta central estabelecida para o período, mas ainda se encontra dentro do intervalo de tolerância existente.

Crescimento econômico e câmbio
O mercado financeiro baixou, na semana passada, a sua estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011 de 4,5% para 4,3%. Para 2012, a previsão do mercado de crescimento da economia brasileira permaneceu inalterada em 4,5%.

Nesta edição do relatório Focus, a projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2011 permaneceu estável em R$ 1,70 por dólar. Para o fechamento de 2012, a previsão do mercado financeiro para a taxa de câmbio recuou de R$ 1,80 para R$ 1,79 por dólar.

Balança comercial
A projeção dos economistas do mercado financeiro para o superávit da balança comercial (exportações menos importações) em 2011 subiu de US$ 11,45 bilhões para US$ 13 bilhões na semana passada.

Para 2012, o BC revelou nesta segunda-feira que a previsão dos economistas para o saldo da balança comercial avançou de US$ 7,10 bilhões para US$ 7,85 bilhões de superávit.

No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado para o ingresso de 2011 ficou inalterada US$ 42 bilhões. Para 2012, a projeção de entrada de investimentos no Brasil avançou de US$ 42,69 bilhões para US$ 43,85 bilhões.

Fonte: G1

Conheça nossas redes:

Orkut
Facebook
Twitter
Site